A crise fiscal e os reflexos no funcionamento do Estado

Notícias

Henrique Meireles aborda sobre cenário econômico e o papel do fisco

postado em 17/06/2019 12:10 / atualizado em 17/06/2019 12:10


O secretário de Estado da Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles, abriu a programação desta 2ª (17.jun.2019) no 4ª Congresso Luso-Brasileiro de Auditores Fiscais, que acontece no auditório do hotel Maksoud Plaza, na capital paulista.

Meirelles discorreu sobre o cenário econômico, os desafios do Estado de São Paulo e a importância do Fisco em um momento marcado pela crise fiscal dos entes federativos. Ele ilustrou o painel com um gráfico em que mostrou a influência da confiança no crescimento se seus reflexos no PIB nacional.

Para Meirelles a Reforma Trabalhista teve papel fundamental na recuperação do Produto Interno Bruto nacional. E aproveitou o momento para defender a Reforma da Previdência que tramita na Câmara dos Deputados. “Sem as reformas correremos o risco de aumentarmos a dívida pública”, sentenciou.

Em seguida, ele aproveitou para apresentar os números paulistas marcado por uma agenda de pró-competição. São Paulo é a segunda maior economia da América do Sul e a primeira do Brasil com 45 milhões de habitantes no Estado”, completou.

“Temos um programa ambicioso, abrangente e favorável às privatizações, serviços de água, esgoto, portos, metrô e estradas e para as modernizações das indústrias com responsabilidade fiscal” esclareceu.

“São Paulo possui mais de 3 milhões de empresas. Possui uma frota tributária de quase 18 milhões de veículos. E um grande trabalho contra a sonegação que é promovido pelos fiscais”, disse. “Graças à atuação dos auditores, aumentamos em 29% o número de empresas de fachada encerradas. E alcançamos R$ 24,5 bilhões de crédito tributário constituído em 2018.”

Com programas de simplificação e modernização da administração tributária, estimulamos o contribuinte a produzir mais e contribuir mais de forma simplificada. A detecção de fraudes por meio eletrônico também ficou mais rápida.”

Para isso, o governo investiu em capital humano, segundo o secretário. Em um novo relacionamento fisco-contribuinte, mais serviços, mais rapidez na concessão de inscrições estaduais e ações contundentes de cobrança.

“O trabalho de inteligência do Fisco, com cruzamento de dados e parceiras com outros Fiscos estaduais, evitou prejuízos de R$ 591 milhões de reais em apenas 6 meses” destacou.

Por último, Meirelles apresentou os resultados da Operação Inadimplentes, responsável pela arrecadação de R$ 332 milhões com ações de combate à sonegação e fraudes.

Antes de se despedir, Henrique Meirelles fez questão de saudar a todos os Auditores Fiscais pela sua contribuição ao desenvolvimento do país. “O fisco é fundamental para que o país não só cresça, mas funcione. O esforço e o trabalho dos fiscais são cruciais. Com uma boa orientação o contribuinte cumpre suas obrigações, evita problemas para si e para o Estado. Pagar tributos é um exercício de cidadania e não somente pagar impostos”.

Copyright © FEBRAFITE - Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais - Todos os direitos reservados

by HKL